Lisboa E-Nova - Agência de Energia-Ambiente de Lisboa

Iniciar Sessão
Português (pt-PT)English (United Kingdom)
Home » Projetos » Mobilidade Sustentável » STARBUS - Sustainable Pathways for Buses' Fleet

STARBUS- Promoting Sustainable Energetic Pathways for Buses' Fleet (Projeto Concluído)

       www.starbus-project.eu   

Este projecto, resultado de uma candidatura ao Programa Europeu Intelligent Energy Europe, liderada pela ADEME, French Agency for Environment and Energy Management, pretendeu estabelecer um caminho comum que promova vias alternativas para os autocarros na Europa e, potencialmente para toda a frota de veículos.

Durante o projecto foram alcançados diferentes resultados, nomeadamente no que se refere a: bibliografias, metodologias, definições de sistemas de medição, ferramentas de simulação, bases de dados de emissões, softwares e casos práticos de aplicação.

O objectivo principal do projecto foi o desenvolvimento de uma ferramenta de análise que considera uma base de dados de emissões well to wheel (para integrar todo o ciclo de vida desde a produção do combustível: well to tank and tank to wheel), desde Euro 1 a Euro 4, para a maioria das opções utilizadas na Europa: Diesel com DPF (Diesel Particulate Filter), biocombustíveis, Gás Natural, etc. As emissões destes poluentes (CO, HC, NOx e partículas) e dos gases com efeito de estufa (GEE) foram medidas, ao longo do projecto, em diferentes vias/opções de transporte, para todas as velocidades do motor e níveis de carga. Nas redes de transportes públicos a testar, foram instalados equipamentos que permitiram registar a velocidade e o binário do veículo em condições reais. Com base nestes dados foram posteriormente estimadas as emissões de poluentes. 

 

 

                                        Esquema da metodologia StarBus

A comparação entre vantagens e desvantagens das diferentes vias/opções para autocarros e frotas públicas necessitou de uma definição de critérios que sejam a base de desenvolvimento de uma metodologia que tenha em consideração custos económicos e ambientais por forma a efectuar uma análise custo/benefício. Adoptando uma metodologia que passou por uma revisão cuidadosa da literatura existente a nível de estudos na área de selecção de critérios para comparação de frotas de autocarros, estimação de impactos ambientais, custos internos e externos e metodologias de comparação, foram seleccionados os critérios ambientais, económicos e técnicos de comparação. Os critérios técnicos incluem questões como fiabilidade de cada solução e disponibilidade e são também utilizados para a avaliação dos combustíveis. Os critérios ambientais incluem as emissões de poluentes, os GEE e o ruído. Os critérios económicos incluem custos internos como: custo do autocarro, custos de operação, custos de manutenção e custos de infra-estruturas.

O resultado da ponderação destes critérios permitiu desenvolver a metodologia de comparação, baseada na performance real dos veículos durante o seu funcionamento. O consumo de combustível, a emissão de poluentes, o ruído e a temperatura dos gases de escape, são 4 indicadores  essenciais no processo de decisão, pelo que a medição destes indicadores foi efectuada a bordo, de acordo com ciclos de condução predefinidos para todas as velocidades do motor e níveis de carga. As medições efectuadas nas várias redes de transportes rodoviários, foram incluídos na base de dados central do software StarBus, inputs, que caracterizou um máximo de 10 opções, identificando as opções mais relevantes de acordo com as frotas de autocarros europeias: combustível e motor Euro norm (eg. RATP em França e Carris em Portugal).

Em termos de disseminação realizaram-se reuniões de projecto, conferências, bem como a elaboração de diversos relatórios, newsletters, que contribuíram para alcançar os objectivos do projecto.

O consórcio do projecto foi composto por entidades que estão envolvidas a nível local, nacional ou mesmo europeu, nomeadamente: entidades com responsabilidades técnicas e com responsabilidades na aquisição da frota de autocarros; autoridades responsáveis pelos transportes; fabricantes de autocarros; fornecedores de energia e entidades nacionais responsáveis pela política de incentivos. A colaboração entre 5 Agências de Energia-Ambiente de 5 países diferentes associadas a redes de autocarros, um laboratório especializado em medições de motores, um serviço técnico para comunicação do Ministério do Trabalho, Transportes e Habitação, e uma das maiores redes de transportes públicos, permitiu desenvolver, criar, testar e disseminar uma nova ferramenta de decisão complementada por metodologias, exemplos e um website. 

 
Início do Projecto e duração: Janeiro de 2006, 36 meses.

Parceiros: ADEME (França), CRES (Grécia), CRMT (França), BR (França), RATP (França), CETE (França), ENEA (Itália), KAPE (Polónia) 

                

 

Acções de Comunicação:

Apresentação do Projecto STARBUS no Workshop "Transportes e Qualidade do Ar", 9 Novembro 2006:

: Gabriel Plassat

 

Apresentação do Projecto STARBUS no Ponto de Encontro, 7 Junho 2006:

: Carla Pinto Leite

 

Apresentação do Projecto STARBUS no Workshop "Soluções de Mobilidade e Novas Tecnologias", 8 Abril 2008:

: Joana Fernandes

 

Notícia Jornal Strada, sobre o Projecto STARBUS, 31 Agosto 2008:

Notícia

 

Entrevista para o Jornal Strada, sobre o Projecto STARBUS, 30 Setembro 2008:

Joana Fernandes

 

Entrevista para o Programa Energia Positiva da Rádio RDS e AMESEIXAL, sobre o Projecto STARBUS, 29 Outubro de 2008:

: Joana Fernandes

 

Links importantes:

Clean and energy efficient vehicles get go-ahead


The sole responsibility for the content of this [webpage, publication etc.] lies with the authors. It does not necessarily reflect the opinion of the European Communities. The European Commission is not responsible for any use that may be made of the information contained therein.

 

Iniciar Sessão