Gestor Remoto – Electricidade

Gestor Remoto da Lisboa E-Nova é um sistema de apoio à gestão inteligente dos consumos elétricos que permite aos seus utilizadores verificarem e corrigirem em tempo útil os consumos energéticos não justificados. O instrumento de análise é oferecido aos associados da Agência de Energia e Ambiente de Lisboa desde o ano de 2011 e está já aplicado em 1400 edifícios e outras infraestruturas. Está também a ser usado por outras entidades que o solicitaram em regime de prestação de serviços.
Sem custos de investimento, a ferramenta de registo, visualização e diagnóstico de medidas de eficiência energética desenvolvida pela Lisboa E-Nova abre o caminho a uma gestão ambiental mais sustentável. Dá também às várias entidades que aderiram ao sistema a possibilidade de controlarem e planearem de modo mais ativo e eficiente os consumos e os usos que fazem dos seus equipamentos.

Um grande número de equipamentos públicos, abastecidos em Baixa Tensão Especial, Média Tensão e superior pela rede de distribuição elétrica nacional, tem dispositivos de contagem instalados que fazem o registo de consumos energéticos a cada 15 minutos. É o acesso a estes dados que permite o desenvolvimento e a aplicação de uma metodologia como aquela em que se insere o Gestor Remoto.
Por telecontagem, a aplicação recolhe a informação energética referente a cada instalação do sistema. Os fluxos e o tipo de abastecimento, os ciclos tarifários e os preços são alguns dos parâmetros contratuais e de consumo recolhidos para o ficheiro de dados associado a cada equipamento e que o permite caracterizar.
Os valores obtidos por telecontagem e tratados de modo automático são apresentados sob a forma de tabelas e gráficos comentados no relatório do Gestor Remoto. Depois, o documento é enviado às entidades que integram o sistema de gestão inteligente, que assim podem acompanhar os consumos dos equipamentos e planear melhor o seu uso. A informação necessária para a correta interpretação dos dados fornecidos é disponibilizada aos responsáveis através de uma ação de formação prévia.
Uma das características essenciais do Gestor Remoto é a apresentação da informação num tipo de formato que pode ser lido facilmente por não especialistas. E uma curiosidade: os gráficos de consumo de cada infraestrutura em hora de ponta são, em regra, qualitativamente tão semelhantes que funcionam como uma espécie de assinatura ou impressão digital que as distingue umas das outras.

Após a elaboração do primeiro relatório, decorre uma visita técnica ao edifício ou instalação analisados. Através destas vistorias identificam-se os equipamentos, maquinarias e usos que justificam os perfis de consumo elétrico traçados.
Localmente, faz-se o registo dos tempos e horários de funcionamento da iluminação, dos computadores, dos elevadores, dos ares condicionados e de tudo o que se justificar. Avaliam-se ainda os hábitos e práticas dos utilizadores. E comparam-se com os gráficos do relatório do Gestor Remoto. Com os novos dados, é elaborado um relatório de medidas de eficiência energética, onde se apresentam também soluções para baixar os consumos elétricos e poupar energia. Em função do interesse manifestado pelos responsáveis da infraestrutura, a Agência pode continuar a acompanhar o seu funcionamento. 

O Gestor Remoto conta ainda com um módulo de dimensionamento de sistemas fotovoltaicos para autoconsumo, dando aos gestores das infraestruturas uma perspetiva do potencial de instalação dos sistemas fotovoltaicos: permite avaliar os benefícios energéticos e económicos destes equipamentos (redução de consumo, investimento e retorno estimados), sempre numa ótica de complementaridade com ações de eficiência energética.

Informação

INÍCIO

2011