Skip to main content
search
Category

PE24

A Ação Climática Participada nos Sistemas de Mobilidade Urbana

A Ação Climática Participada nos Sistemas de Mobilidade Urbana

Resumo da Sessão:

O envolvimento e participação cidadã e dos atores locais na definição das políticas públicas rumo à neutralidade carbónica são elementos fundamentais para realizar uma ação climática socialmente justa e com maior capacidade de resposta aos desafios atuais.

Esta abordagem é particularmente relevante no sistema de mobilidade urbana, um dos setores com maior contributo para as emissões de gases com efeito estufa e elementos poluentes gerados nas nossas cidades e um dos principais responsáveis pelas alterações climáticas e outras externalidades.

Na Europa, várias cidades têm vindo a desenvolver estratégias de resposta à neutralidade carbónica e à transição climática envolvendo os cidadãos e as comunidades locais e que podem servir como importantes lições de aprendizagem, replicáveis nos nossos contextos e quotidianos.

A Sessão é gratuita, mas inscrição obrigatória, sujeita a validação.

Consulte a nossa politica de privacidade

Data
7 de maio 2024

Localização
Zoom

Orador
José Carlos Mota

Horário
17h00 às 18h00

Apresentação

Moderador
Bernardo Pereira (Lisboa E-Nova)

Outras sessões

Abril 19, 2018

Utilização de água reciclada na rega de espaços verdes em áreas urbanas

Abril 19, 2018

Avaliação da qualidade dos solos, das águas subterrâneas e das espécies hortícolas em hortas urbanas de lisboa

Dezembro 6, 2018

Avaliação de ciclo de vida e economia circular

Litigância climática – uma ferramenta para um mundo mais sustentável e justo

Litigância climática - uma ferramenta para um mundo mais sustentável e justo

Resumo da Sessão:

O Estado Português está hoje a ser processado por inação climática naquela que constituiu a primeira ação de litigância climática em Portugal.

  • Porque é que o Estado foi processado?
  • Quais são as previsões e o que pode mudar?
  • Que tendências de ações de litigância Portugal verá nos próximos meses/anos?

Data
9 de abril 2024

Localização
Zoom

Orador
Mariana Gomes (Associação Último Recurso)

Horário
17h00 às 18h00

Apresentação

Moderador
Diana Henriques (Lisboa E-Nova)

Outras sessões

Janeiro 23, 2024

Changing behaviour, for greener cities

Outubro 25, 2022

Sistemas alimentares circulares de génese urbana – Contributos para um laboratório vivo no Hub Criativo do Beato

Setembro 18, 2019

Fechar o ciclo: reciclar água para garantir a sustentabilidade futura das cidades

Clima em mudança, verdade!

Clima em mudança, verdade!

Resumo da Sessão:

A variabilidade climática sempre ocorreu, mas vivemos uma época de mudança. A ciência climática fornece evidências das alterações climáticas globais, com dados recolhidos e analisados ao longo de décadas.

Data
14 de março 2024

Localização
Zoom

Oradores
Ricardo Deus (Instituto Português do Mar e da Atmosfera )

Horário
17h00 às 18h00

Apresentação

Moderador
Rui Dinis (Lisboa E-Nova)

Outras sessões

Agosto 28, 2018

Sustentabilidade ambiental nas operações de logística urbana

Março 1, 2021

Economia Circular – da Agenda Regional às prioridades de concretização

Abril 17, 2018

Uma Verdade Inconveniente — The Climate Reality Project e o combate contra as alterações climáticas

Uma rede ciclável na área Metropolitana de Lisboa

Uma rede ciclável na área Metropolitana de Lisboa

Resumo da Sessão:

Portugal tem uma repartição modal desequilibrada pelo elevado peso do transporte individual.

Em 2019 foi aprovada a “Estratégia Nacional para a Mobilidade Ativa Ciclável 2020-2030” (ENMAC), assumindo a ambição de pretender dar um contributo para a descarbonização da mobilidade, favorecendo opções de deslocação mais sustentáveis como a utilização da bicicleta. Simultaneamente, pretender maximizar os benefícios para a saúde dos cidadãos, proporcionando-lhes hábitos de vida mais saudáveis.

Na área metropolitana de Lisboa, desenvolver e disponibilizar aos técnicos e decisores, uma ferramenta digital (biclaR) que modelou a captação de utilizadores de bicicleta, mapeando a rede ciclável potencial e prioritária e medindo os impactes sociais e ambientais representou mais uma, das diversas, abordagens e ações que se impõem para a promoção dessa mobilidade sustentável.

A existência de uma infraestrutura ciclável confere uma “transição sem dor” para a utilização quotidiana da bicicleta, e que terá de ser reforçada por outras medidas de ordenamento do território, de sensibilização e alteração de comportamentos, de garantias também de estacionamento, de articulação, complementaridade e integração com os transportes públicos e mesmo o carro, de sistemas partilhados, de novos serviços de transporte (de entrega de encomendas e mercadorias, de “táxi”, etc) e a valorização da bicicleta também da fruição e lazer.

O biclaR insere-se nesta estratégia integrada, que assume a relevância da infraestrutura, e que modelou o potencial de captação para 3 cenários: As metas definidas pela Estratégia Nacional de Mobilidade Ativa Ciclável (ENMAC); a utilização da bicicleta elétrica (maiores distâncias, menor relevância da topografia, alargamento de potenciais utilizadores); A utilização da bicicleta como complemento a viagens de transporte público.

Data
22 de fevereiro 2024

Localização
Zoom

Oradores
Sérgio Pinheiro ( TML – Transportes Metropolitanos de Lisboa) / Sofia Bento (Grupo de Projeto para a Mobilidade Ativa)

Horário
17h00 às 18h00

Apresentação
Sérgio Pinheiro – Download Aqui
Sofia Bento – Download Aqui

Moderador
Carlos Contente de Sousa (Lisboa E-Nova)

Outras sessões

Setembro 28, 2022

A pobreza energética em Lisboa – Resultados do 1º inquérito realizado

Abril 17, 2018

Gamificação – mecânicas de jogo ao serviço da sustentabilidade

Abril 19, 2018

Avaliação da qualidade dos solos, das águas subterrâneas e das espécies hortícolas em hortas urbanas de lisboa

Changing behaviour, for greener cities

Changing behaviour, for greener cities

Resumo da Sessão:

A mudança de comportamento é uma componente essencial para as cidades que pretendem reduzir o seu impacto ambiental. A forma como as pessoas se deslocam, consomem energia, comem e eliminam os seus resíduos tem um impacto significativo no ambiente e, alterar os comportamentos em todas estas áreas ajuda a reduzir o seu impacto.

Nesta sessão, foi analisada a importância que a mudança de comportamento assume na construção de cidades mais ecológicas e serão exploradas algumas das estratégias que as cidades podem utilizar para incentivar comportamentos sustentáveis.

Framework:

Changing behaviour is an essential component for cities wanting to reduce their environmental impact. The ways in which people move, consume energy, eat, and dispose of waste all have a significant impact on the environment, and altering their behaviour in these areas can help to reduce that impact. In this session, we will explore the importance of behaviour change for greener cities and look at some of the strategies cities can use to encourage sustainable behaviour.

Data
25 de janeiro 2023

Localização
Zoom

Orador
Fred Dorsimont (Behaven)

Horário
17h00 às 18h00

Apresentação
Download aqui

Moderador
Rui Dinis (Lisboa E-Nova)

Outras sessões

Abril 17, 2018

Eficiência Energética e comportamento passivo dos edifícios

Abril 17, 2018

Uma Verdade Inconveniente — The Climate Reality Project e o combate contra as alterações climáticas

Abril 19, 2018

Uma horta em casa – Biohorta em varandas ou quintal

A Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP28) – Que consequências?

A Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP28) – Que consequências?

Resumo da Sessão:

A Conferência das Partes acontece anualmente desde 1994, quando a Organização das Nações Unidas decidiu reunir os representantes de quase todos os países do mundo para debater as mudanças climáticas.

O 28º encontro das partes decorreu no Dubai, Emirados Árabes Unidos, de 30 de novembro a 12 de dezembro de 2023 e para além de analisar do progresso em relação aos atuais objetivos do acordo de Paris, focou-se também em temas relacionados com a necessidade de acelerar a produção de energia através de fontes de energia limpas, para “reduzir” as emissões de gases com efeito de estufa antes de 2030, o financiamento para a ação climática dos países mais ricos para os mais pobres e, ainda, a necessidade de um novo acordo focado na natureza e nas pessoas.

Nesta sessão, Francisco Ferreira, ambientalista, docente e presidente da ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável, que esteve presente na Conferência e que tem acompanhado todas as suas edições, irá explorar a questão: COP28, que consequências?

Data
10 de janeiro 2023

Localização
Zoom

Orador
Francisco Ferreira (Zero – Associação Sistema Terrestre  Sustentável)

Horário
14h00 às 15h00

Apresentação
Download aqui

Moderador
Rui Dinis (Lisboa E-Nova)

Outras sessões

Setembro 4, 2018

Reabilitação Urbana e Eficiência Energética – Nova Geração de Políticas de Habitação para Lisboa

Abril 19, 2018

Quantificação de impactes energéticos e ambientais da introdução de tecnologias alternativas na frota da CML

Maio 6, 2022

Construção rumo à neutralidade carbónica e à circularidade